COMO A ANÁLISE DE DADOS DE MERCADO PODE IMPACTAR O SEU NEGÓCIO DE VINHOS

Young women working in data analytics project

Cada vez mais tem-se discutido a importância da coleta e da análise de dados para a tomada de decisões estratégicas nos negócios. E a explicação para isso é bem simples: quanto mais dados um negócio possui, mais ideias assertivas vêm à tona, atendendo as reais necessidades do cliente, minimizando riscos e gerando maior segurança na execução de ideias inovadoras.

Para empreendedores do setor do vinho, conhecer o seu mercado aumenta consideravelmente a clareza na condução do negócio. O seu cliente terá a percepção de que você entrega o que ele necessita; o fornecedor fará questão de trabalhar com você, pois sabe do alcance que o produto pode chegar através do seu negócio; você terá mais credibilidade em suas negociações, resultando em avanço e crescimento da sua empresa. 

Os principais dados a serem analisados pelo empreendedor do setor do vinho são:

  • Quem é o seu cliente?
  • O que ele mais consome?
  • Quais as suas necessidades?
  • O que o seu negócio fornece é realmente necessário no mercado?
  • Quais os seus concorrentes?
  • O que eles estão fazendo para ter sucesso?
  • Quais nichos do setor ainda não são explorados?

Para estas e outras perguntas importantes, sempre temos algumas hipóteses em mente, porém, isso não é suficiente para tomada de decisões. Elas precisam ser baseadas em fatos comprovados, e para isso, nada melhor do que dados de mercado, provenientes de pesquisas de fontes coerentes e confiáveis. 

Você mesmo pode realizar essa coleta de dados, através de uma pesquisa própria, ou pode buscar pesquisas já realizadas, que se encaixam com o seu negócio. Atualmente, existem muitas empresas especializadas em estudos de mercado, que podem te auxiliar nesta tarefa. Contudo, quero destacar uma empresa em especial, parceira EducaVinhos: a Ideal Consulting.

A Ideal Consulting é uma empresa especializada em auditoria de importação e inteligência de mercado, no segmento de bebidas e alimentos. Dados obtidos com a importação e exportação são transformados em informações estratégicas e inteligência competitiva, sobre o mercado nacional e mundial. 

Durante a 3ª edição da Imersão Profissionais do Vinho (evento presencial exclusivo para alunos EducaVinhos), realizada no último mês de abril, em São Roque, SP, o CEO da Ideal Consulting, Felipe Galtaroça, realizou uma palestra riquíssima, com informações sobre dados atuais do Mercado de Vinhos. Separamos alguns destes dados para lhe apresentar no artigo de hoje. Confira.

  • No consumo per capita, que é o total do volume de vinhos dividido pela população adulta, a quantidade de espumante consumido passou de 122 ml em 2014 para 181 ml em 2021. 
  • Nos vinhos tranquilos, o aumento partiu de 1,77 litro, em 2014 e chegou a 2,64 litros em 2020. 
  • Em 2021, foi registrada uma queda para 2,46 litros, causada, principalmente, pela redução do consumo do vinho de mesa, que é a primeira categoria a se retrair com as crises econômicas. 
  • Na soma dos espumantes com os vinhos tranquilos, em 2021, chegou-se a 2,64 litros de consumo per capita (eram 1,89 litro em 2014). O potencial é evidente na comparação com o consumo nos demais países. No Chile, por exemplo, o consumo per capita chega a 18 litros. Portugal lidera com mais de 50 litros por habitante por ano. A projeção da Ideal é chegar a 3 litros per capita em 2026.
  • Os dados mostram que o espumante merece atenção. A categoria segue em alta, como tendência, e seu consumo não é mais limitado às festas de casamento e de final de ano. 
  • Outro foco são os rosés, tanto nos vinhos tranquilos como nos espumantes. Apenas nos vinhos, a categoria saiu de 3 milhões de litros para 8 milhões de litros. “Atualmente, os brancos e os rosés representam 25% do mercado”, destacou Galtaroça. 
  • Além dos estilos de vinhos no portfólio dos negócios do vinho, é preciso também escolher garrafas de origem diferentes. No mapa de origem das importações, o Chile lidera. Em segundo lugar está o Brasil que, antes da pandemia, era a quarta maior origem dos vinhos consumidos pelos brasileiros. A Argentina ocupa o terceiro lugar e Portugal, o quarto.
  • Quanto aos valores, atualmente 68% da venda de vinhos são de garrafas com preço de até R$ 60,00 no ponto de venda. Isso não significa que todos os negócios devem separar cerca de 70% do espaço da prateleira para os rótulos mais em conta. “Nem sempre concorrer com o supermercado é bom. A dica é ter cuidado para que estes rótulos não sejam o principal do negócio”, afirma Galtaroça. Mas lembrar que é preciso também ter vinhos mais baratos para o consumidor.

Depois de tomar conhecimento sobre estes dados do setor, você não sente mais clareza no que diz respeito a qual rumo seguir com o seu Negócio de Vinhos? Você até pode confiar na sua intuição, mas, empreendedores de sucesso baseiam as suas tomadas de decisões em dados de mercado, gerando mais assertividade em seus negócios. 

Nós da EducaVinhos temos como objetivo levar aos empreendedores do setor mais acesso a este tipo de informação confiável. Nossos alunos estão sempre por dentro de dados atualizados do Mercado de Vinhos, bem como inteirados das tendências deste setor promissor, que vem crescendo a cada ano. 

Nosso objetivo é auxiliar empreendedores do setor do vinho a desenvolverem um olhar mais estratégico, desde a escolha do seu modelo de negócio, jornada de serviço, posicionamento de mercado, entre muitos outros fatores que fazem a diferença para o sucesso de um Negócio de Vinhos! Se este também é o seu objetivo, junte-se a nós e faça parte da nossa Comunidade de Empreendedores com visão de futuro!

Forte abraço! 

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.